PSD Portimão reage sobre ligação marítima entre Portimão e Funchal e pede clarificação do ministério do Mar via Câmara Municipal de Portimão

09/04/2019

PSD Portimão assinala positividade da medida suportada pelo Governo Regional da Madeira e apela ao Município para zelar pelo interesse local.

 

O PSD de Portimão assinala com regozijo o espectável impacto positivo do retorno da ligação de marítima, entre Portimão e a Madeira, pelo dinamismo que seguramente irá incutir na economia local, no Turismo do município e da região algarvia e ainda para o comércio e dia-a-dia de Portimão.

 

É do conhecimento público que esta concessão é totalmente subsidiada pelo Governo Regional da Madeira, que merece o agradecimento de Portimão e das suas gentes, e que este Governo liderado por Miguel Albuquerque tem trabalhado no sentido de defender e assegurar a continuidade territorial, consagrada na Constituição, em que cabe ao Estado assegurar este tipo operações.

 

Relembra o PSD que esta tentativa madeirense tem sido infrutífera na não-vontade do Governo de António Costa, nomeadamente na Ministra do Mar.

 

Entende o PSD que seria benéfico esta ligação marítima ser efetuada durante todos os meses do ano e que, com o apoio do Governo em subsidiar também a operação, criaria real fluidez na economia local se não fosse apenas sazonal em que os postos de trabalho gerados acabam por ser deficitários face à sua natural descontinuidade nos meses de interrupção.

 

Segundo foi tornado público, a ministra Ana Paula Vitorino alterou o passando recente da sua intervenção e, talvez por estarmos em ano eleitoral, no Continente e na Região Autónoma da Madeira, aparenta validar esta operação marítima como um caminho para garantir o princípio da continuidade territorial. Porém, publicamente afirmado, passaria a rota do navio para Lisboa, em vez de Portimão.

 

Assim, o PSD de Portimão reforça algumas inconformidades que a economia “eleitoral” do PS terá que responder aos portimonenses, aos algarvios e aos portugueses:

  1. Se o Estado denotou dificuldades em subsidiar uma linha de 21 horas de navegação marítima, sendo a transferência de Portimão para Lisboa um acréscimo de tempo, combustível e tarifário, como poderá o Governo justificar financeiramente o porquê da mudança?
  2. Será que o Governo quer, desta forma, assumir perante Portugal que não é favorável a um investimento para o Algarve, em Portimão neste caso específico, mas que para Lisboa está disponível mesmo que custe mais ao erário público?

 

Não esquece o PSD de Portimão que há responsabilidades locais também.

 

Nesse sentido, reitera o PSD que é muito positivo o que a ligação marítima pode contribuir e impactar em Portimão e no Algarve e, assim, questiona a Autarquia Portimonense sobre o que tem feito o Executivo socialista local para defender os interesses locais e de que forma, onde e como, rejeitaram publicamente a inoperância da ministra Ana Paula Vitorino para com Portimão.

 

Caso não tenha sido feito, apela o PSD de Portimão para que o executivo assuma publicamente a discordância com o Governo e que coloque a economia, o turismo e os portimonenses à frente da sigla partidária do Partido Socialista.

 

Comissão Política do Partido Social Democrata da concelhia de Portimão

Agenda

Canal de Vídeo

Newsletter